Análise do primeiro episódio do Encantador de Cães













Para ver o episódio aqui fica o link para o mesmo em ESPANHOL
  • Minuto 1:44 situação pré-preparada para atiçar o cão à câmara
  • Minuto 1:56 câmara atiça mais uma vez o cão numa situação pré-preparada
  • Minuto 2:01 uma mão de um estranho (quem é) é deliberadamente oferecida ao cão atiçando-o enquanto a dona deliberadamente pega no cão ao colo
  • Minuto 2.11 a companheira de casa da dona, deliberadamente pega no cão ao colo sabendo que ele iria reagir mais uma vez numa situação pré-preparada
  • Minuto 2:16 dona descreve que o cão quando sózinho demonstra uma linguagem de medo e foge (não ataca) – “ele põe a cabeça para baixo, rabo entre as pernas e foge para o meu quarto”.

o César Millan é apresentado como a última esperança de reabilitação do Nunu

o César questiona a dona, com perguntas fechadas: “ele é territorial, dominante, agressivo, nervoso, medroso?” este tipo de perguntas estipula já uma determinada resposta

o Minuto 3:32 Nunu está no sofá com a dona e o César e começa a cheirar os objectos que César carrega. Não demonstra agressividade nenhuma.

o Minuto 3:47 César explica que o Nunu está nervoso e que fazer festas é reforçar esse “estado de mente”. Fazer festas num cão medroso pode de facto intensificar o medo que este sente, mas o medo não é um estado de mente, é um sentimento e a agressividade é um comportamento expresso pelo Nunu quando o sente.

o César explica que não cumprimentou o cão porque ele precisa de o cheirar antes de o ver ou ouvir. O Nunu viu, ouviu o César muito antes de o ir cheirar perto.

o Ao minuto 4:47 César abraça a dona enquanto esta tem o cão no colo. Este não demonstra qualquer reacção.

o Aos 5 minutos César pede à dona para colocar o Nunu no colo dele. Quando a dona faz isto o Nunu não oferece qualquer comportamento agressivo, demonstra linguagem que conota ansiedade e desconforto. César que acabou de dizer que não se pode fazer festas quando o cão está nesse “estado” faz-lhe festas contradizendo-se.

o Quando o Nunu tentar sair do colo do César este agarra-o na parte de trás e o Nunu ataca

o Cesar descreve o processo de segurar o cão enquanto ele demonstra agressividade como sendo parte da dominância e dizendo que se ele (César) parar o cão ganha. Comportamento canino não é um jogo de futebol, onde existe um vencedor e um vencido. Comportamento altera-se não se ganha ou perde num jogo.

o A dona demonstrasse nervosa e nada à vontade com o que vê. Suscitar incómodo e sentimentos negativos nos donos não ajuda de forma nenhuma à mudança comportamental do cão nem ao relacionamento cão-dono.

o Minuto 5.30 quando Nunu tenta libertar-se mordendo a mão de César, este agarra a pele com força na parte traseira não largando - Flooding

o Minuto 5:34 volta a coloca-lo no colo, Nunu oferece imensos sinais comunicativos de apaziguamento e calma (lamber constante dos lábios)

o 6:23 César continua a segurar o Nunu à força no seu colo, a dona está ao seu lado extremamente tensa e chora, a sua companheira de quarto também está a chorar

o Enquanto elas limpam as lágrimas César diz que as pessoas não podem fugir, ter medo ou ficarem nervosas que isso apenas irá intensificar o comportamento indesejado, no entanto as acções de César colocam ambas as mulheres num estado de nervos tal que ambas estão nervosas tensas e a chorar, o que segundo ele só intensifica o comportamento do cão.

o 6:49 César diz que o Nunu está a desistir – learned helplessness ou em português desamparo aprendido

o 6:52 Cesar explica que a mão é como uma boca e que os dedos são como dentes e que quando ele toca no Nunu que o está a morder – os cães sabem muito bem o que são dentes e o que são mãos!!!

o Ao minuto 7:00 Nunu volta a demonstrar agressividade, César explica que quanto mais ele fizer aquilo melhor é para deixar de demonstrar o comportamento depois segura-o pelo pescoço apertando-o.

o Passa a explicar que no mundo natural outro cão chegaria e o poria no chão como ele o está a fazer no sofá e explica que como nenhum humano lhe fez isto antes ele nunca se submeteu aos humanos antes. O mundo natural dos cães é junto das pessoas como animais de companhia e estimação. Nenhum cão força outro no chão como manobra de submissão, essa manobra conhecida por alpha rollover, não existe no mundo dos cães, nem no mundo dos lobos. Factos podem ser comprovados nos últimos estudos feitos por biólogos a lobos e veterinários a cães.

o Ao minuto 7:41 enquanto segura o cão de lado César diz que não está a usar força que é um toque psicológico

o Ao minuto 8:00 depois de Cesar o largar o Nunu tenta chegar à dona mas o caminho é bloqueado. O Nunu caminha por cima do sofá com as orelhas para trás coladas a cabeça, corpo rente ao chão e cauda completamente virada para baixo – expressão de muito medo.

o Ao minuto 8:34 Nunu vai para um cadeira continuando a demonstrar uma linguagem extremamente medrosa (meia-lua dos olhos, semi-cerrar dos olhos, orelhas para trás)

o César explica que acabou de convidar o Nunu a viver no reino da dona mas mais tarde no minuto 9:39 já afirma que o dono do reino dela é ele (César).

o Aos 8:44 minutos César leva o Nunu à rua. O Nunu encontra-se numa trela , orelhas para trás, olhos semi-cerrados, lambendo os lábios e com o corpo tenso e pesado (sinal comunicativo de desconforto e medo)

o Ao minuto 9:39 César entra no quarto da dona e senta-se na cama. A dona diz que normalmente o Nunu teria atacado qualquer pessoa que se sentasse na cama dela.

o “Ele não tem medo de mim” – Nunu demonstra sinais claros de medo durante todo o programa, particularmente em relação a César Millan.

o Aos 10 mnts a dona e a companheira de quarto encontram-se deitadas na cama enquanto César fala com elas. O Nunu está na cama também atrás delas a roer um peluche. Não tem qualquer reacção. Apesar de não termos vistos nenhuma das duas fazer absolutamente nada com o Nunu, este não demonstra nenhuma agressividade.

o Minuto 10:50 passados alguns dias vemos os três sentados à mesa. César tem o Nunu ao colo, ele está com as orelhas para trás coladas à cabeça, corpo tenso e encolhido, oferecendo meia-lua dos olhos (sinal comunicativo de desconforto e medo)

o Ao minuto 10.55 Nunu está seguro apenas com uma mão, com as patas em pleno ar, lambe repetidamente os lábios em sinal de desconforto. César explica como elas devem imitar a mão que morde e demonstra no próprio cão enquanto ele não está a fazer absolutamente nada.

o Aos 11 minutos a dona explica que aquilo que aprendeu foi que tem que dominar mais o cão ao invés de deixar o cão dominá-la a ela. Dominância não existe inter espécies, e não se exprime através de comportamentos de medo.

o Não vemos o problema resolvido...

Comentários

Aline disse…
cada dia tenho mais nojo dele
José Dores disse…
Havia o Dog Town mas não vamos passar o encantador de cães... o Nunu ficou encantado... e educado também... e a dona...ui ficou a perceber muito de mudança de comportamento... olha passem mas é a música dos deolinda - parva que eu sou... e percebem porque é que é o Cesar Milan que aparece no programação infantil (pormenor a não esquecer também... muito educativo)...TIREM-ME DESTE PAÍS!
Aline disse…
posso linkar esse texto no meu blog???
mostrar as referências pq dps do meu ultimo post varias pessoas me escreveram mandando ler os livros desse ser e adotar as suas técnicas. seu texto está excelente para eu mostrar o porque não farei isso.
espero a resposta (alinevienamev@gmail.com)

obrigada de verdade
Olá Aline, desde que coloque as fontes e devidos links pode publicar à vontade :D
Aline disse…
postei lá Claudia. obrigada pela autorização, e qualquer nota, é só me falar.

Mensagens populares deste blogue

NÃO QUEIRA UM CÃO DE GUARDA Por Claudia Estanislau

5 mitos do cão "agressivo"

Estimulação Mental com a Amanda