TENS É CIÚMES!




Desde que me tornei uma treinadora de cães que ouço falar do Cesar Millan.

Não é segredo que treinadores que usam reforço positivo e tenham estudade a ciência da aprendizagem e comportamento usando-a para educar, treinar ou modificar comportamentos nos cães, não são fãs das técnicas usadas por este treinador – eu sou uma dessas treinadoras.

Quando comecei a informar as pessoas acerca dos métodos demonstrados no seu programa, tornei-me no alvo de criticas severas por aqueles que viam e gostavam do programa.

Com o tempo, apercebi-me de algo muito importante; apercebi-me que aqueles que falavam a favor do Cesar , faziam-no porque gostam do próprio Cesar, não tendo muito haver com métodos de treino.

Eles não falam a favor dele para justificar as suas técnicas, porque como não as entendem, como poderiam fazê-lo? As suas intervenções vão desde: “Tens é ciúmes!” até “Se ele não fizesse isso o cão seria eutanasiado” ou “Cesar Rocks!”.
No entanto, nenhum destes comentários mostram um verdadeiro conhecimento do que é que se vê na televisão, o que acontece quando alguém aplica uma técnica como o flooding, ou do que é que estamos a falar quando dizemos que o cão está em learned helplessness.

Também falo activamente contra o uso de quaisquer instrumentos de treino que têm por objectivo magoar ou pior bloquear as vias aéreas prevenindo o cão de....bom...respirar. Em resposta a isto normalmente sou confrontada com : “estranguladoras não magoam”, “ele está a fazer aquilo para salvar o cão” (note bem o “salvar o cão”) e é claro o velho “Tens é ciúmes”.

Portanto, será que estas pessoas acreditam mesmo que quando ele pendura um cão pela estranguladora que o cão consegue respirar? Será que acreditam mesmo que alguém não está a estrangular um cão ao aplicar pressão contínua no seu pescoço? Ou será que estão apenas à procura de motivos para justicar o que ele está a fazer?

Em quase todos os cursos ou seminários que dou, mostro episódios do Encantador de Cães. Faço-o porque sei que os donos de cães, não sabem o que devem procurar, ou o que devem ver. Faço-o especialmente porque acredito que se essas pessoas tiverem primeiro acesso à informação, irão invariavelmente e sózinhos “ver” as coisas de forma diferente. Portanto antes de lhes mostrar os vídeos, falo acerca do que é flooding e learned helplessness e explico as consequências do uso de reforço negativo e castigo positivo (e também explico o que estes são).

Explico por palavras simples, o que é que um cão poderá estar a sentir, quando tem muito medo de algo e é confrontado com esse algo de forma abrupta, sem escapatória e sendo punido sempre que expressa esse mesmo medo. Não é ciência nuclear, e a maioria das pessoas entendem.

A maioria das pessoas que depois veêm estes videos, reagem como se fosse a primeira vez que os estivessem a ver (felizmente para algumas pessoas é mesmo a primeira vez). Subitamente eles apercebem-se das coisas de forma diferente e eu deixo que ele tirem as suas próprias conclusões. Eu sei que algumas pessoas irão resistir e vão para casa sem estarem convencidos. Eles irão continuar a ver os seus programas e sentir-se-ão resistentes a aceitarem que existem outras formas de fazer as coisas.

Eu acho que eles se sentem traídos e que é isso que causa tanta resistência, porque imagino que é isso que uma pessoa sente se admitir que as técnicas que veêm e nas quais acreditavam não são o que eles pensavam ser, pelo menos foi assim que eu me senti. Eles provavelmente sentir-se-ão traídos pelo homem que disse “é assim que se faz”, “não faz mal fazer assim”, “é assim que se resolve este problema”.

Mas há mais! Existe a National Geographic por trás disto. Afinal de contas a National Geographic é para algumas pessoas o canal, revista e NOME de referência para programas acerca da natureza e dos animais.

Certamente a NG não iria apoiar um treinador que fizesse algo tão errado com os cães, não é? Bom, não é bem assim. A NG é apenas um canal de televisão, e como qualquer outro canal de televisão precisa de audiências para pagar as contas, ser notado e bem sucedido. De forma a tornar a NG um canal de sucesso, eles não contratam biólogos, etólogos ou treinadores para produzir um programa de treino de cães. Eles contratam produtores, promotores e todas as pessoas que são peritas a fazer dinheiro para o canal. E essas pessoas fazem-no muito bem! Eles não sabem nada acerca de cães, eles apenas querem fazer um programa que seja um sucesso e chegue às grandes audiências.

O programa precisa de ter uma música estranha, uma voz back-off e palavras chave tais como: energia, besta, domar, submissivo, atacar, zona vermelha, perigoso, curar, salvar e encantar. Uma das pessoas que trabalha com o Cesar é visto num dos seus Dvds a explicar como ele foi contratado para atiçar os cães antes das gravações começarem. Eles não podem ter um cão calmo e relaxado, eles precisam de um cão extremamente agitado, especialmente agressivo para se poder fazer um bom programa.

Portanto se o princípio é colocar o cão numa situação extrema, atiçando-o e fazendo-o demonstrar comportamentos inapropriados de propósito, então não existe espaço para ensinar ou aprender, apenas para o drama e um bom programa de televisão.

Você consegue imaginar um treinador numa situação destas a dizer: “Bom, vamos dessensibilizar o seu cão à mota e gradualmente expo-lo ao estímulo mantendo-o abaixo da linha de reacção”...primeiro construir um relacionamento com o cão, preparando-o para ser bem sucedido mantendo-o calmo e controlado, de forma a que se aperceba exactamente do que se passa ao seu redor e possa aprender e posteriormente apresentá-lo à mota a uma distância segura e gradualmente mudar o seu estado emotivo interno, tornando medo em expectativa e alegria. Soa muito bem, mas seria um programa de TV muito chato.

Serás que seria eficaz? Bom, para o cão muito, ele aprenderia a adorar motas para sempre e duma forma divertida! Milhares de treinadores pelo mundo fora, lidam com cães agressivos ou com outros problemas de comportamento desta forma e são capazes de tornar cães agressivos, medrosos ou problemáticos em cães sociáveis, alegres e bons companheiros. Mas e seria bom para o canal de televisão? Nem por isso, um programa desses não teria mordidas, gritos, ganidos, ladridos, cães a tentarem respirar, o que iria significar ausência de drama e que por sua vez significaria menos audiências.

Portanto sim, eles endorsam e fazem um programa de tv com um treinador de cães cujos métodos são antiquados e causam danos e consequências para os cães e para os donos dos que tentam estes métodos em casa (e são muitos os que tentam).

Mas existirão sempre aqueles cépticos, aqueles que preferem pensar que o mundo não é governado por dinheiro e interesses materiais, e vão acreditar que a NG mostra o Encantador de Cães porque ele é o melhor treinador de cães do mundo (mesmo que anteriormente ao programa ele fosse apenas mais um treinador) e que o Cesar faz o que faz porque ele não tem escolha e porque salva cães. Especialmente porque “Cesar rocks” e claro “Temos é ciúmes!”.

Comentários

Claudia:

Adoramos seu post...concordamos em gênero, número e grau com o que vc disse..., mas infelizmente, muitas pessoas acham que é o máximo de educação canina esse tipo de relação...
Já estamos acompanhando seu blog!
Beijinho
Ana e Scully
Fúlvia e Suzie disse…
Eu assisto O Encantador de Cães para saber o que NÃO devo fazer com minha magrela. Prefiro mil vezes a Victoria Stilwell.

Parabéns pelo blog!!!
Adote Gaspar disse…
E n assisto mais o programa dele, gosto mto dos cães para ver o sofrimento deles, as vezes chegava até a chorar de pena dos cães, prefiro n assistir. Atualmente estou assistindo Victoria Stilwell.
Noir disse…
Encontrei o site porque faço encomendas na petness. fico feliz por saber que há treinadores que preferem usar outros métodos muito mais simpáticos para os cães. Gosto do programa da Victoria Stilwell apesar de ser um pouco difícil de encontrar episódios. Se tivesse um cão sentia-me segura a treiná-lo na sua escola. Continuação de uma boa carreira!
Raíssa N. disse…
Quando eu conheci seu blog eu estava em uma época que estava começando a me interessar pelo assunto. Estudando medicina veterinária, decidi abordar o tema de adestramento no meu projeto de iniciação cinetifica. Pesquisei bastante e li livros, dos quais o "The Power of Positive Dog Training" de Pat Miller foi um dos melhores. Seu blog também foi um grande estímulo para mim. Comecei a avaliar o que o Cesar Millan fazia, tirei as minhas conclusões. Hoje eu fiquei conhecida na faculdade por ter aversão ao cara. O que é ruim, porque eu tenho aversão às técnicas dele. Mas foi bom, pq eu percebi que também consegui conscientizar muita gente que antes gostava do programa dele.
Eu acho que você deve continuar o que você faz. E já que é pra ser assim: YOU ROCK!
Luciana Noronha disse…
Concordo plenamente com vocês, e ainda tem gente(muitos) que acham ele o mâximo!
Rita disse…
Oi Não condeno as pessoas que o defendem porque eu própria também não perdia um programa dele, eu condeno sim o canal de televisão que faz este programa quando especialistas não concordam com as suas técnicas. O povo que assiste ao programa defende porque gosta dele mas a maior parte tal como eu não percebe nada de treino canino mas como eu fiz acho que as pessoas devem informar se e ter uma mente aberta a várias opiniões....

cumprimentos

Rita

Mensagens populares deste blogue

5 mitos do cão "agressivo"

NÃO QUEIRA UM CÃO DE GUARDA Por Claudia Estanislau

Estimulação Mental com a Amanda