Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2008
Imagem
A teoria da dominância está desesperadamente a necessitar de uma substituição. Schenkel protestou no instante que a teoria foi usada para explicar a organização social de lobos, mas por algum motivo, as pessoas ignoraram-no. Não demorou muito a que o mesmo mito fosse aplicado aos cães.

Nem sequer podemos chamar a isto má aplicação da ciência, porque na realidade não é sequer ciência.

O seguinte documento publicado de Semyonova, A., 2003, “The social organization of the domestic dog; blowing up the dominance myth”, The Carriage House Foundation, The Hague, é baseado no estudo publicado que estudou a interacção social entre cães.

Em seguida transcrevo o abstracto do documento e deixo o link para o estudo em si, que está em inglês.

Abstracto

A teoria de que uma hierarquia baseada em relações dominantes é o principal princípiopelo qual se regem os grupos do tipo lupus familiaris é uma projecção humana que precisa de ser substituida. Para além disso, o modelo foi sem justificação possível tran…

A Panacéia da Dominância por Jean Donaldson

Imagem
Um modelo que é usado como quasi-justificação para o uso de aversivos no treino é a teoria da hierarquia. Desde que a teoria da hierarquia linear foi postulada nos lobos, donos de cães e treinadores excedem-se nos seus esforços em querer justificar todo e qualquer comportamento canino e interacção humano/canina em termos de “dominância”. Nós realmente colamos a esta. É um belo exemplo de um meme**(explicação em baixo) bem sucedido. Os cães portam-se mal ou são desobedientes porque ninguém lhes mostrou quem é que manda. Tu deves ser o “alfa” dentro do teu “pack”. Para além de ser mais uma forma de justificar métodos de treino aversivos – implica que o cão supostamente passa as noites acordado a planear “um golpe de estado” portanto é melhor que você o mantenha no “seu lugar” com muita coerção – dominância fornece explicações rápidas e simplistas para o comportamento canino.

Para os donos de cães, esta explicação simplista, torna desnecessário o trabalho de se ter que estudar uma série d…

Pedigree Dogs Exposed, a Reportagem

Imagem
A BBC recentemente exibiu um programa acerca dos cães de Pedigree, da sua criação e manipulação pelos criadores e mais especificamente pelo Kennel Club.
O vídeo tem58 mnts e está todo em inglês. Para aqueles que conseguirem perceber o que está a ser dito, aconselho a verem a reportagem na totalidade e ouvirem os diferentes relatos e tirarem as vossas conclusões.O mais importante desta lição para mim é que serão sempre as pessoas com visão curta e distorcida da realidade que vão negar os testemunhos de pessoas como genéticistas, biólogos, veterinários dizendo que não admitem que cientistas venham-lhes dizer o que se passa com os cães "deles". Pessoas essas que adquiriram o seu estatuto apenas por longevidade e não por mérito de conhecimentos válidos no bem-estar, genética ou comportamento do animal.A ciência irá sempre ser um obstáculo na mente dos "tacanhos" e "inadequados", como disse Einstein: "Grandes espíritos sempre encontraram muita violência e…

Artigo de Pedro Marquez

Imagem
Existe um artigo escrito por Pedro Marquez (quem é?) que aparenta ser um que foca o tema da chamada.

Como treinadora, sei perfeitamente que este tema é um dos mais problemáticos para os donos dos cães e que juntamente com o problema de puxar na trela um dos que levam centenas de pessoas a contratarem um treinador. Excelente escolha, só que infelizmente o artigo, para além de pequeno, é desprovido de qualquer informação válida que possa ajudar uma pessoa a ensinar o seu cão a vir quando é chamado. O artigo é um de opinião parcial sobre um assunto que nada está relacionado com os cães que não vêm à chamada.

O artigo debruçasse na realidade na tarefa de questionar se todas a raças de cães responderiam fielmente à chamada.

Mas mais uma vez instalasse a confusão pois ao ler o artigo vemo-nos imersos noutro tema, completamente distinto e que é a diferença entre dois tipos de treino ou treinadores, aqueles a quem o autor chama de positivos (ou na moda) e os “antiquados” ou que obedecem a uma metod…