Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2016

NÃO QUEIRA UM CÃO DE GUARDA Por Claudia Estanislau

As pessoas adquirem uma certa raça ou um certo cão porque acreditam que eles serão bons “cães de guarda” ou porque querem um “cão de guarda”.
Mas o que é afinal um cão de guarda?
Ao longo dos anos tenho ouvido as perspetivas de diferentes pessoas acerca do que acreditam ser um cão de guarda. Algumas descrevem o cão de guarda, como um que vai atacar os ladrões ou pessoas que queiram fazer mal à família humana. Outros esperam que o cão adquira um sentido humano de moralidade e valorize objectos e que saiba protege-los. Outros descrevem um cão de guarda como um cão “mau” para todos os que se aproximem, menos as pessoas que são da família.
Um cão de guarda é, em geral, muitas vezes entendido como um cão que sabe a quem e quando demonstrar comportamentos agressivos – enquanto sabe também ser o cão mais sociável e amigável com todas as outras pessoas.
Aquilo que chamo cães de alerta, são a grande maioria dos cães que temos connosco. A maioria dos cães, ladram quando ouvem um barulho fora do nor…

Quando a mentira incomoda muita gente a verdade incomoda muito mais

Não gostando de perder tempo com estas coisas, e como me foi indicado terei que escrever isto, algo que me custa muito porque é perda de tempo e cusciçe no seu melhor algo que detesto fazer. Lamento esta lavagem de roupa suja mas por vezes ficar calado é simplesmente impossível e contrapodutivo. O meu ex-aluno Patrick Rocha, acusou-me copiar os temas dos artigos dele. Colocou esta acusação com os nomes dos artigos escritos por mim e como tal a difamar o meu nome, o que merece resposta directa. Senhor Patrick o senhor foi meu aluno por mais de 3 anos e quando começou o curso de treinadores, não sabia nada sobre cães nem tinha formação anterior nenhuma. Tudo o que aprendeu começou por aquilo que EU ensinei, que ouviu de mim, que ouviu nas minhas aulas, leu na matéria do meu curso, nos livros aconselhados por mim, traduzidos por mim, nos meu blogs, etc.. etc.. por isso e só isto já deveria ser estranhíssimo dizer que EU estou a roubar seja o que for seu. Eu estou neste negócio há mais d…

Cães Acorrentados

Colocando de parte todas as considerações éticas e morais acerca do facto de mantermos um cão atado a uma corrente, o que torna este acto não só detestável como extremamente perigoso é o facto de que a grande maioria dos cães acorrentados desenvolvem comportamentos agressivos ou reactivos.

Cães presos a correntes sabem que estão presos, logo sabem que estão em perigo! Tudo o que os cães presos a correntes veêm que os assusta, é imediatamente confrontado com demonstrações veementes e claras de afastamento, ou sejam comportamentos agressivos.

O cão defende-se, afinal ele está preso não pode fugir e tem que evitar a todo custo que aquilo que ele não conhece, ou que o assusta, se aproxime dele. Se alguém se aproxima de um cão preso e este por qualquer motivo percebe esta aproximação como perigosa para si, ele irá usar comportamentos agressivos como forma de aumentar a distância e afastar o estímulo causador do perigo. A este tipo de comportamento agressivo chamamos de agressividade defensi…