Conversa entre dois cães


O Max encontra o Brutus que está solto num pátio. O Brutus rosna quando vê o Max aproximar-se do portão


Max - “Calma companheiro, eu não vou invadir o teu território só venho conversar!”Sou pacífico!”

Brutus - “GRRRRRR! Também eu, mas o meu dono é que não gosta de outros cães, por isso é melhor ires embora senão sobra para mim..: GRRRRR!”

Max - “Como assim ele não gosta de outros cães?”

Brutus - “Não vez? De cada vez que um cão se aproxima ele puxa na coleira e estes espigões cravam-se no meu pescoço! Sai daqui! GRRRRRRR! Ele pode sair de casa e vem cá e fecha-me na garagem! Vai embora! GRRRRRR”

Max – “Credo nem tinha reparado, eu afasto-me então”

Max vira-se e cheira o chão afastando-se. Já longe...

Max - “Como te chamas?.”

Brutus – “O meu nome é Brutus Não. E tu?

Max – “Eu sou o Max Muito Bem”

Brutus – “Porque é que não tens uma destas coleiras como a minha?”

Max – “Não sei... se calhar o meu dono não tem medo de cães ..”

Brutus – “Pois, mas sem a coleira como é que sabes o que podes fazer?”

Max – “Como assim? “

Brutus – “Bom, o meu dono quando não quer que cães se cheguem perto ele puxa na coleira, mas por exemplo, quando quer que eu me sente também puxa na coleira para trás e quando quer que eu me deite também. Mas eu sou muito inteligente e já percebi, e antes que ele puxe, eu já faço o que ele quer quando ele diz aqueles sons altos, Platz por exemplo é quando ele quer que eu me deite. Eu deito-me antes dele ter que usar a coleira, assim poupo o meu pescoço”.

Max – “O meu dono diz o som deita quando quer que eu me deite. Eu também faço esse truque! Mas ele não usa a coleira.”

Brutus – “Mas sabes sempre que ele quer? No outro dia estavamos num sítio com muitos cães e eu fiquei preocupado e queria estar de pé para poder ver o que se passava e quem vinha lá, e o meu dono disse o som Platz, mas eu não sabia se ele queria mesmo que eu me deitasse, porque ele nunca me pediu isso antes quando estamos com tantos cães à volta e havia lá alguns cães não muito amigáveis, eu bem vi..:”

Max – “ que horror! Mas tentaste dizer-lhe que te sentias desconfortável a deitares-te à volta de tantos cães?”

Brutus – “Sim mas foi pior!”

Max – “Como assim?”

Brutus – “Bom eu, lambi os lábios e baixei a cabeça, mas ele ficou muito chateado comigo e ainda puxou mais na trela enquanto gritava Platz!. Depois disse que eu era “desobediente”. Sabes o que é isso?”

Max – Não...

Brutus – “Nem eu.... Mas deitei-me porque me dóia muito o pescoço dos esticões. Se tu não tens coleira como é que fazes?”

Max – “Bom o meu dono dá-me sempre uma recompensa quando eu me deito.”

Brutus – “Recompensa? Que é isso?”

Max – “Bom ele dá-me sempre um petisco, às vezes dá-me galinha ou então atira-me a bola, outras vezes joga ao tug comigo, é muito divertido”

Brutus – “Sempre que ele diz aquele som e tu fazes o deita ele dá-te isso?”

Max – “Bom nem sempre, mas quase sempre. Eu por via das dúvidas faço sempre porque quando menos espero ele dá-me algo e não custa nada fazer não é?”

Brutus – “Pois... assim é”

Max – “Já tentas-te dizer ao teu dono que os outros cães não fazem mal?”

Brutus – “Não sei como. Tudo começou quando ele me levou ao treinador. Eu não percebi nada do que ele diziam, mas o meu dono pôs-me esta coleira e o treinador disse que eu não ia puxar mais na trela. Eu senti-me muito desconfortável com esta coisa no pescoço e tinha que caminhar muito devagar, mas lá me fui habituando. Um dia quando passeavamos vi a Carlota sabes quem é?”

Max – “A Labradora do quarteirão de cima? Aquela com a coleira verde?”

Brutus – “Essa mesmo. Eu quando era pequenino brincava com ela, e então eu vi-a e chamei por ela. Ladrei e tentei caminhar para perto dela, para podermos brincar outra vez. Mas o meu dono começou a dar-me muitos esticões na coleira e começou a doer muito, e foi aí que eu me apercebi que ele tinha começado a não gostar de cães. A partir daí começei a dizer aos outros cães à distância para sairem do caminho do meu dono. Ladro alto para eles ouvirem bem e mostro que estou a falar a sério, mas o meu dono fica mesmo zangado..:”

Max – “Coitado do teu dono ele se calhar teve algum trauma quando tu não estavas lá”

Brutus – “Pois, mas eu por mais que ladre aos outros cães e os avise para se afastarem o meu dono continua a não gostar muito... Perdi todos os meus amigos e sinceramente deixei de gostar de falar com outros cães, nem gosto de os ver perto”.

Max – “Pois assim é complicado. Espero que o teu dono ultrapasse esse medo e te liberte dessa coleira feia. Nem sei porque é que a tens ao pescoço se estás no teu pátio solto”.

Brutus – “Ele nunca me tira isto. Diz que eu me porto mal quando não a tenho e que preciso de o respeitar. Sabes o que é isso?”

Max – “Não... desculpa não sei o que é”

Max aqui anda vamos embora companheiro! – chama o dono do Max

Max – “Tenho que ir o dono tem algo para mim! Boa sorte Brutus Não...se te vir a passear com o teu dono afasto-me não te preocupes..:”

Brutus – “Ó pá obrigada... Xau, foi bom conversar, mas não venhas mais por aqui.

Comentários

verita disse…
é caso para dizer "ponha-se no lugar do seu cão por uns momentos...."!
nadea disse…
Esta "conversar" deu-me mais uma vez, muito que pensar.. porque esta é uma realidade ainda nos nossos dias, e que nem todos vêm como nós..
Transparece muito bem aquilo que se passa à nossa volta, nos nossos dias, com os nossos cães.

Muito bom Cláudia!

Que esta "palavra" chegue o mais longe possível, porque os animais merecem..
aninhas disse…
hahaha
Que conversa mais profunda...

hugs and kisses from kikos world
Rui Machado disse…
Muito bom mesmo. Isto é da autoria de quem ? Quero colocar isto no meu blog. Infelizmente muitos cães têm a mesma pouca sorte do Brutus... Mas temos é de colocar textos assim para que quem é leigo na matéria entenda o sofrimento, medo e confusão que causam aos seus cães a usarem estas ferramnetas de tortura. Cumprimentos a todos e parabéns ao autor do texto. Cumprimentos a todos
Olá Rui obrigada pela mensagem. O texto é mesmo da minha autoria. Ainda bem que gostou.

Cpts

Cláudia
Milú disse…
Olá, estou aqui lendo a história e me identifiquei mais com o que ganha as recompensas....

Mensagens populares deste blogue

NÃO QUEIRA UM CÃO DE GUARDA Por Claudia Estanislau

5 mitos do cão "agressivo"

Estimulação Mental com a Amanda